Pages

16 de julho de 2014

Espelho de nada

(feito para um campeonato de textos, encontrei-o perdido no sótão que é meu notebook)

Era um garoto de olhos cinzentos por trás do espelho. Nunca soube explicar como ele apareceu por lá em uma manhã típica de domingo em que eu apenas observava o reflexo no vidro que refletia o espelho em cima da cômoda. Ou porque era um garoto se eu era uma menina. Digo, ele nem ao menos poderia fingir que era um complemento d’alma minha que resolveu observar o mundo a partir de seu único caminho. Só sei que ele ali estava e se recusava a falar comigo. Cheguei até mesmo a pensar em tirar o espelho por uns tempos para ver se ele ia embora, mas nenhum dos outros quatro moradores da casa viam algo. Não quis criar alarde, não iria dar o gostinho de ele me ver sendo enviada a um psiquiatra.

Por quê? Por que está aqui? – eu questionava aos sussurros enquanto penteava o cabelo, castanhos como os dele.

Ele apenas levantou o braço direito e escreveu no vidro: você sempre pôde me imaginar como queria, mas sempre quis saber como eu seria.

O garoto sorria para mim. Coloquei minha boina vermelha e saí.

A insônia me incomodava outra noite. Talvez a mera esperança de me entender fizesse com que eu não dormisse. Voltei ao espelho de bordas carmim.

O garoto apareceu aos bocados, dessa vez de óculos.

Por que você está aí dentro? – questionei após um tempo.

Não estou no espelho. Sou um reflexo dos seus olhos – a resposta apareceu sem ser escrita agora.
E eu estava cansada demais para qualquer outra questão. Adormeci.

Pela manhã, não havia mais garoto de cílios compridos, mas havia algo lá.

Um gato. Seus olhos eram amarelos.

O que você é? – meu murmúrio se tornava confuso. Ele não era tão paciente quanto o garoto, revirou os olhos.

O seu anjo da guarda, às vezes. Seu amigo, quando necessário. Mas principalmente: a sua consciência.

E ele desapareceu como eu gostava de fazer aos sábados à noite. Restando apenas um espelho feito de nada que refletia o meu vazio.

2 comentários:

Samantha Coelho disse...

Que lindo! O menino, a menina, o espelho e o gato! Adorei toda a questão que envolve... ah, adorei!

Dine disse...

<3

Postar um comentário