Pages

5 de maio de 2013

Eu tenho um sonho

Eles são olhos cansados. Seres esgotados. Políticos ativos do Partido da Derrota.

Eu mudaria o mundo, diria algum corajoso, se tivesse sido eleito. Bem, eu não acredito em você, responderia eu, mas você nunca me perguntaria algo, de qualquer modo.

De mentiras são feitos, os sonhos há muito foram partidos, assados e devorados na esperança de que fossem capazes de preencher o vazio significativo que se instalou por ali, ganhando o terreno por usucapião.

Eu acabaria com a fome, se lamentaria ele, se tivesse sido eleito. Eu não diria nada, apenas lhe lançaria um olhar cético. Políticos da Derrota para sempre seriam uma máquina vinda com um milagre de fábrica: um botão vermelho de autodestruição para o caso da situação ficar realmente feia.

Eu seria honesto, bom. Um religioso para os religiosos. Um líder para os desorientados. Um guardião da lei para os inseguros. Eu seria a chave para um mundo justo.

Poderia ter sido, mas não é, murmuraria eu. Oh, a triste realidade da política! Ou ser tudo para todos ou não ser nada para ninguém.

O que disse?, ele questionaria, finalmente notando aquele ser que lhe seguia como uma sombra. Eu disse, responderia – com as palavras sendo fundidas em minha boca como ferro – que assim como você poderia ter salvado o mundo, eu poderia ter sido uma super-heroína. Que da mesma maneira que você nunca mencionou ser bom para a sua família, eu digo que você não poderia ajudar realmente os distantes de sua realidade. Você diz que seria o caminho para a segurança e paz.

Eu digo que sou o povo e, assim como geralmente cometo o erro de eleger alguns de seu partido, fiz muito bem ao não eleger você. Não precisamos de alguém que poderia ter sido, caso uma oportunidade tivesse aparecido em um passe de mágica. Precisamos de alguém que seja. Precisamos de alguém que continue sendo. E esse alguém raramente se candidata para político, esse alguém não sabe o talento da humildade que possui.

Você sonha, dirá o político. Sonho, responderei eu, mas ainda assim é preferível sonhar a adentrar no pesadelo chamado você.

0 comentários:

Postar um comentário