Pages

26 de janeiro de 2012

Teorias deformadas


Sabe de uma coisa?

Acho que estou me sentindo tão estranha ultimamente e com meus olhos querendo mandar um pouco de lágrimas para passear por algum motivo.


Pensou a garota de lábios rosados que estava sentada na areia, observando o mar. Alguns minutos antes, ela seria capaz de jurar que havia visto uma cauda de sereia em meio às ondas.

Seu susto fora tão grande que acabou exclamando em voz alta sua descoberta e seus parentes próximos lhe olharam de forma esquisita e riram-se dela, deixando-a triste.

Seria ela uma menina com uma visão tão inalcançável assim sobre o que ocorria ao seu redor ou eram as pessoas à sua volta que se recusavam a acreditar em assuntos sem créditos científicos? Provavelmente era um bocado de cada uma das hipóteses.

Algumas pessoas gostavam tanto da tal teoria da evolução... então por que era tão complicado acreditar que sereias poderiam ser o começo da evolução de peixes que se tornavam seres humanos? Eram mitos, mas que existiram porque alguém os criou. E em toda história existe um fundo de verdade, não é? E se elas fossem as intermediárias entre duas raças que decidiram continuar morando no mar e nunca completar sua transformação? Bem, aquela garota acreditava naquela possibilidade como plausível, e não se importava com o que pensariam dela se ouvissem tal teoria.

Logo, pareceu acordar de mais uma divagação.

Nunca fora seu objetivo pensar sobre aquela sereia (porque não duvidada nem por um segundo que não fosse uma!), mas queria pensar sobre por que se sentia tão melancólica. Não havia acontecido nada, nadinha que justificasse aquela ausência de sentimentos favoráveis à vida.
Suspirou.

Gostava imensamente mais das perguntas, mas às vezes, só às vezes, as respostas eram fundamentais para um detalhe chamado sanidade.

4 comentários:

Aleatoriedades disse...

"Gostava imensamente mais das perguntas, mas às vezes, só às vezes, as respostas eram fundamentais para um detalhe chamado sanidade."

Nosso mundo é feito de perguntas, e eu adoro respostas que geram mais perguntas, oi? /aleatória

Acho essa teoria muito viável, agora deixe-me lhe dizer uma coisa: tendo uma criatividade, curiosidade e imaginação como a sua, para que viver na melancolia se você pode criar um mundo diferente? Pode até mesmo trazê-lo para realidade, se tiver um pouquinho mais de fé...

Adoro seus textos, eles me fazem pensar e filosofar hahaha
Parabéns!

Maah disse...

"Gostava imensamente mais das perguntas, mas às vezes, só às vezes, as respostas eram fundamentais para um detalhe chamado sanidade."
gamei nisso *-*
ficou lindo prima *-*

Mirana ® disse...

Lindo mesmo.
Gosto de pensar assim também. Com muitas perguntas. E procuro sempre não respondê-las. Não curto as respostas q

E concordo com o carinha aí de cima: "para que viver na melancolia se você pode criar um mundo diferente?"
E nem falo isso com segundas intenções como, por exemplo, voltar a ver um certo gatinho e. *sovio*

Mas, antes que eu enrole ainda mais, ficou muito bonito mesmo. E me gusta sereias <3

Amanda disse...

Eu até curto as respostas, mas as perguntas são muito mais atraentes, vamos combinar.

Realmente, gatinho tá de volta, mas a inspiração foge dele :C

E, um dia, ele vai vir para a realidade. Oremos.

Enfim, obrigada, suas lindas <3

Postar um comentário